O Autismo E O Lúdico

Autores

  • Lucinéia Cristina da Silva UNIFAMA
  • Alexandra Magalhães Frighetto UFMT
  • Juliano Ciebre dos Santos FSA

Resumo

A apresentação desse artigo tem como objetivo ressaltar a importância da educação lúdica como forma de estimulação ao desenvolvimento de crianças autistas, sendo por meio de brincadeiras, jogos e brinquedos, podendo contribuir para que as crianças com autismo se socializem e se desenvolvam, tendo contato com outras pessoas.  O presente artigo foi desenvolvido através de pesquisa bibliográfica realizada, observando que o Autismo pode ser considerado um transtorno global do desenvolvimento (TGD) que afeta o desenvolvimento da criança, especialmente intervindo no desenvolvimento das áreas da imaginação, comunicação, e da sociabilização; não a cura do autismo, isso é correto mesmo com os mais recentes estudos em relação ao á ele, o que existem são terapias e tratamentos que tornam mínimo as dificuldades, adequando um bom desenvolvimento e uma melhor qualidade de vida, por exemplo, com as  atividades lúdicas é proporcionando á criança um agir espontâneo, natural e faz com que percebam suas habilidades e consigam desenvolver muitas outras.Palavras-chave: Lúdico; Autismo; Desenvolvimento; Habilidades.

Biografia do Autor

Lucinéia Cristina da Silva, UNIFAMA

Bacharelada em Psicologia pela Fundação Educacional de Fernandópolis-SP FEF; Pós Graduada em Educação Especial da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte-MT, outubro de 2003; Psicóloga do hospital Municipal de Terra Nova do Norte-MT. Residente em Terra Nova do Norte-MT. E-mail: [email protected]

Alexandra Magalhães Frighetto, UFMT

Professora Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Pós Graduada em Metodologia e Didática do Ensino Superior, Educação Especial, LIBRAS e Psicopedagogia Clínica e Institucional. Professora e orientadora dos relatórios de Estágio dos cursos de Pós Graduação da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte. Mestranda em Gestão em Educação e Sociedade pelo INSES. Professora Efetiva na Secretaria de Estado de Educação do Estado de Mato Grosso. Professora da Sala de Recursos Multifuncional da Escola Estadual Norberto Schwantes em Terra Nova do Norte - MT.  E-mail: [email protected]

Juliano Ciebre dos Santos, FSA

A apresentação desse artigo tem como objetivo ressaltar a importância da educação lúdica como forma de estimulação ao desenvolvimento de crianças autistas, sendo por meio de brincadeiras, jogos e brinquedos, podendo contribuir para que as crianças com autismo se socializem e se desenvolvam, tendo contato com outras pessoas.  O presente artigo foi desenvolvido através de pesquisa bibliográfica realizada, observando que o Autismo pode ser considerado um transtorno global do desenvolvimento (TGD) que afeta o desenvolvimento da criança, especialmente intervindo no desenvolvimento das áreas da imaginação, comunicação, e da sociabilização; não a cura do autismo, isso é correto mesmo com os mais recentes estudos em relação ao á ele, o que existem são terapias e tratamentos que tornam mínimo as dificuldades, adequando um bom desenvolvimento e uma melhor qualidade de vida, por exemplo, com as  atividades lúdicas é proporcionando á criança um agir espontâneo, natural e faz com que percebam suas habilidades e consigam desenvolver muitas outras.Palavras-chave: Lúdico; Autismo; Desenvolvimento; Habilidades.

Referências

ABRAMOWICZ, A.; WAJSKOP, G. Creches: atividades para crianças de zero a seis anos. São Paulo: Moderna, 1995.

ALMEIDA, A. Ludicidade como instrumento pedagógico. Disponível em: <http://www.cdof.com.br/recrea22.htm>. Acesso em: 15 abr. 2011.

ALMEIDA, P. N. Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. 6. ed. São Paulo:Loyola, 1999.

BOSA, C. A. Autismo: intervenções psicoeducacionais. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/%OD/rbp/v28s1/a07v28s1.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2011.

CUNHA, N. H. S. Brinquedoteca: um mergulho no brincar. 4. ed. São Paulo: Aquariana, 2007.

FONSECA, V. R. J. R. O autismo e a proposta psicanalítica. In: Revista Mente e Cérebro, Col. Memória da Psicanálise: Melanie Klein, n. 4, 2. ed. São Paulo: 2009.

GAUDERER, E. C. Autismo. 3. ed. São Paulo: Atheneu, 1993. Autismo e outros atrasos do desenvolvimento: guia prático para pais e profissionais. Rio de Janeiro: Revinter, 1997.

KUPFER, M. C. M. Educação para o futuro: psicanálise e educação. 2. ed. São Paulo: Escuta, 2001.

KWEE, C. S. Abordagem transdisciplinar no autismo: o programa TEACCH. Disponível em:<http://www.uva.br/mestrado/dissertacoes_fonoaudiologia/CAROLINESIANLIAN- KUEE.pdf>. Acesso em: 13 mar. 2011.

MELLO, A. M. S. R. Autismo: guia prático. Disponível em:<http://www.appdaalgarve.pt/docs/autismoguiapratico.pdf>. Acesso em: 16 mai. 2011.

RAPPAPORT, C. R. (Org.). Psicologia do Desenvolvimento. São Paulo: E. P. U. 1981.

REGO, T. C. Brincar é coisa séria. São Paulo: Fundação Samuel, 1992.

RIZZO, G. Jogos inteligentes. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996.

SANTANA, A. L. Método montessoriano. Disponível em: <http://www.infoescola.com/pedagogia/método-montessoriano>. Acesso em: 14 abr. 2011.

SANTOS, Juliano Ciebre dos. Diretrizes para Elaboração de Artigos Científicos. Guarantã do Norte-MT. FCSGN, 2013.

SANTOS, S. M. P. dos. (Org.). Brinquedoteca: a criança, o adulto e o lúdico. Petrópolis: Vozes, 2000. Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos. 12. ed. Petrópolis: Vozes,2008.

SANTOS, S. M. P. dos. (Org.). Brinquedoteca: a criança, o adulto e o lúdico. Petrópolis: Vozes, 2000.

ZEHDI, A. A. Brinque, jogue, cante e encante com a recreação: conteúdos de aplicação pedagógica teórico/prático. 2. ed. Jundiaí: Fontoura, 2006.

Downloads

Publicado

2019-11-18